RSS

>O Papa em Israel

11 maio

>TEL-AVIV, 11 MAI (ANSA) – A chegada do papa Bento XVI a Israel, nesta segunda-feira, foi marcada por uma acolhida calorosa, mas também pela ausência de personalidades políticas e religiosas do país.

O Papa aterrissou em Tel-Aviv, vindo da Jordânia, onde passou os primeiros três dias de sua visita à Terra Santa. No Aeroporto Internacional Ben Gurion de Tel-Aviv, em Israel, o Pontífice foi recebido pelo presidente israelense, Shimon Peres, e o premier Benyamin Netanyahu, que atrasou em algumas horas sua visita ao Egito para estar presente na chegada de Bento XVI.

Apesar da presença dos chefes de Estado e de Governo do país, a cerimônia de acolhida ao líder católico contou com algumas ausências significativas. O presidente do Parlamento de Israel, Reuven Rivlin, não compareceu ao evento, justificando que terá outras ocasiões para encontrar o Papa durante a visita.

Também não estavam presentes os dois grãos-rabinos de Israel, o sefardita Shlomo Amar e o ashkenazita Yona Metzger. Os líderes religiosos estavam empenhados com os preparativos de uma celebração judaica. Amar e Metzger, contudo, se encontrão com o Papa, hoje e amanhã, em Jerusalém.

Assim como ministros do partido ortodoxo judeu Shas, que não compareceram à cerimônia. Por outro lado, os ministros israelenses Yitzhak Herzog (Assuntos Sociais) e Yossi Peled (atualmente sem pasta), cumprimentaram Bento XVI pessoalmente.

Yitzhak Herzog é neto de Yitzhak Herzog Halevy, que recorreu à ajuda do papa Pio XII durante a Segunda Guerra Mundial. Já Peled, no mesmo período, foi entregue por sua mãe a uma família cristã da Bélgica, para escapar da perseguição nazista aos judeus. Ali, foi educado como cristão até o fim da guerra, quando foi para Israel com sua mãe.

De Tel-Aviv, Bento XVI foi de helicóptero para Jerusalém, onde foi recebido pelo prefeito da cidade, Nir Barkat, segundo informou a TV pública israelense, que acompanha todas as etapas da viagem pontifícia.

A visita do líder católico também é acompanhada de perto pelo chefe da polícia israelense, Dudi Cohen. Foram mobilizados 60 mil policiais, que farão a segurança do Papa em Israel. Além deles, outros 20 mil agentes de outras corporações participam do esquema de segurança

 
Deixe um comentário

Publicado por em maio 11, 2009 em Israel

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: