RSS

>A Turquia em Chipre

21 jul

>

A Turquia em Chipre vs. Israel em Gaza

por Daniel Pipes
Washington Times
20 de Julho de 2010

http://pt.danielpipes.org/8652/turquia-chipre-israel-gaza

Original em inglês: Turkey in Cyprus vs. Israel in Gaza
Tradução: Joseph Skilnik

Em face às recentes críticas de Ancara sobre o que chama de “prisão a céu aberto” de Israel em Gaza, realizadas na data de hoje, que marca o aniversário da invasão de Chipre pela Turquia, sua relevância é fora do comum.

Emine Erdoğan, esposa do primeiro ministro turco.

A política turca frente a Israel, historicamente cordial e que apenas há uma década estava próxima a uma aliança total, esfriou desde que os islamistas tomaram o poder em Ancara em 2002. Sua hostilidade se tornou explícita em janeiro de 2009, durante a guerra Israel-Hamas. O Primeiro Ministro Recep Tayyip Erdoğan pomposamente condenou a política israelense como “perpetração de ações desumanas que levará a autodestruição” e até invocou Deus (“Alá irá… punir aqueles que transgridem os direitos dos inocentes”). Sua esposa Emine Erdoğan hiperbolicamente condenou as ações israelenses como sendo tão terríveis que “sequer podiam ser expressas em palavras”.

Suas agressões verbais auguraram hostilidades adicionais que incluíram insultar o presidente de Israel, ajudar a patrocinar a “Flotilha da Liberdade” e chamar de volta o embaixador turco.

Essa fúria turca provoca uma pergunta: Israel em Gaza é realmente pior do que a Turquia em Chipre? Uma comparação mostra sua alta improbabilidade. Veja alguns contrastes:

  • A invasão turca de julho-agosto de 1974 envolveu o uso de napalm e “espalhou terror” entre os aldeões gregos cipriotas, de acordo com o Minority Rights Group International. Contrastando, a “batalha feroz” de Israel para tomar Gaza contou somente com armas convencionais e resultou virtualmente sem vítimas civis.
  • A ocupação subsequente de 37 porcento da ilha equipara-se a “limpeza étnica forçada” segundo William Mallinson em uma monografia que acaba de ser publicada pela Universidade de Minnesota. Contrastando, se alguém deseja acusar as autoridades israelenses de limpeza étnica em Gaza, ela foi contra seu próprio povo, os judeus, em 2005.
  • O governo turco tem patrocinado o que Mallinson chama de “política sistemática de colonização” em terras anteriormente gregas no norte de Chipre. Os turcos cipriotas totalizavam cerca de 120.000 em 1973; desde então, mais de 160.000 cidadãos da República da Turquia foram assentados em suas terras. Nem uma única comunidade israelense permanece em Gaza.
  • Ancara governa a zona ocupada com tanta rigidez que, nas palavras de Bülent Akarcalı, político veterano turco, “O Norte de Chipre é governado como se fosse uma província da Turquia”. Um inimigo de Israel, o Hamas, governa em Gaza.
  • Os turcos montaram uma estrutura que faz de conta ser autônoma chamada de “A República Turca do Norte de Chipre”. Os habitantes de Gaza desfrutam de uma verdadeira autonomia.
  • Um muro que atravessa a ilha mantém os pacíficos gregos fora do norte de Chipre. O muro de Israel exclui terroristas palestinos.

A divisão de Chipre desde 1974.

Uma placa na cerca nos arredores de Varosha, Chipre.

E ainda temos a cidade fantasma de Famagusta, onde as ações turcas correspondem às da Síria sob os criminosos Assads. Após a força aérea turca ter bombardeado a cidade portuária cipriota, as forças turcas entraram para se apossarem dela, com isso impelindo toda a população grega (temendo um massacre) a fugir. As tropas turcas isolaram a área central da cidade, chamada Varosha e a ninguém é permitido morar lá.

Conforme esse centro grego em ruínas é invadido pela natureza, ele se torna uma bizarra cápsula do tempo de 1974. Steven Plaut da Universidade de Haifa visitou-a e relata: “Nada mudou. … Diz-se que as agências de automóveis no centro fantasma, até os dias de hoje estão estocadas com modelos antigos de 1974. Por anos após o estupro de Famagusta, a população contava que ainda via lâmpadas acesas nas janelas dos edifícios abandonados”.

Curiosamente, outra cidade fantasma levantina também data do verão de 1974. Exatamente 24 dias antes da invasão de Chipre pelos turcos, tropas israelenses evacuaram a cidade fronteiriça de Quneitra, entregando-a às autoridades Sírias. Hafez al-Assad optou, também por motivos políticos, não permitir que ninguém morasse lá. Décadas mais tarde, ela também permanece vazia, refém da beligerância.

Erdoğan alega que as tropas turcas não estão ocupando o norte de Chipre, e sim, estão lá na “Capacidade turca como potência garantidora”, seja lá o que isso queira dizer. O mundo, no entanto, não é trapaceado. Se Elvis Costello cancelou recentemente um concerto em Tel-Aviv em protesto pelo “sofrimento dos inocentes [palestinos],” Jennifer Lopez cancelou um concerto no norte de Chipre em protesto à “violação dos direitos humanos”.

Em suma, o Norte de Chipre compartilha características com a Síria que lembram uma “prisão a céu aberto” mais do que Gaza. Interessante que uma Ancara hipócrita se coloque no alto do pedestal dando lição de moral sobre Gaza mesmo que ela própria aja de forma bem mais agressiva na área que governa. Em vez de se intrometer em Gaza, os líderes turcos deviam acabar com a ocupação ilegal e destruidora que por décadas divide Chipre de forma trágica.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em julho 21, 2010 em Turquia

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: