RSS

Um terrorista convertido ao cristianismo

05 set

Nos anos sessenta, quando integrava o movimento palestino Fatah, assassinou muitos judeus. Após se converter ao cristianismo, o palestino Tass Saada mudou radicalmente. Está convencido de que a Bíblia prometeu Israel aos judeus e considera que o político holandês Geert Wilders é um aliado em sua luta contra o Islã.

Essa semana, Tass Saada está na Holanda para promover seu livro Arafat era meu herói. Uma história que poderia se tornar roteiro de filme. Saada conheceu o ódio desde muito cedo. Foi o ódio contra os judeus que o transformou no “carniceiro de Fatah”. Tass Saada nasceu em um acampamento de refugiados na Faixa de Gaza e cresceu na Arábia Saudita e Qatar. Seus pais já haviam fugido de Jaffa, Israel, em 1948.

Fatah
No acampamento, os palestinos recebem um tratamento humilhante, como se fossem cidadãos de segunda categoria. São recriminados por terem vendido suas terras aos judeus. “E no Oriente Médio, um homem sem terra é um homem sem honra”, afirma Saada. Em 1967, quando as tropas árabes não conseguem vencer Israel, Saada decide se unir ao movimento palestino Fatah, atraído pela carismática atuação do líder da OLP (Organização para a Libertação da Palestina), Yasser Arafat, que visita frequentemente a família Saada.

Tass Saada combate para Arafat, trabalha como motorista. Aos 17 anos, passa a assassinar os opositores de Fatah. Não se lembra exatamente quantas pessoas matou nesse período. Perdeu a conta: “Deus me perdoou mas eu não me perdôo. Naquele momento eu acreditava que a violência era necessária e que através dela poderíamos restituir a terra de nossas famílias. Preferia estar morto a não ter pátria”.

Setembro negro
Tass Saada não acredita que haveria sobrevivido se seu pai não o tivesse pedido para que voltasse a Qatar, em 1970. No dia seguinte da sua partida inicia-se o ‘setembro negro’ na Jordânia, quando as tropas daquele país expulsaram as organizações palestinas. O conflito deixou dezenas de milhares de vítimas. Tass Saada não voltou a fazer parte da Fatah, mas seguiu apoiando a organização por um longo tempo.

Saada viaja aos Estados Unidos, onde se casa e torna-se um empresário bem sucedido. Em 1993 se converte ao cristianismo, uma decisão não muito apreciada, principalmente quando começa a pregar e orar em mesquitas. Nos Estados Unidos é atacado e golpeado por muçulmanos quando se dão conta que ele é um apóstata.
Saada: “Para minha família também foi terrível. Para eles, minha conversão era um pecado mais grave do que se minha irmã viesse a cometer adultério. Meu irmão contratou pistoleiros para me matar ao menos que me convertesse novamente ao islã. Mas eu não temia a morte. Não posso renegar minha fé cristã. Finalmente minha família teve que se resignar e aceitar”.

Muçulmanos
Tass Saada está convencido de que o islã é perigoso e que busca dominar o mundo ainda que faça uma distinção entre os muçulmanos e o islã. “Nem todos os muçulmanos são terroristas”, afirma. Nestas ideias demonstra coincidir com o que pensa o político Geert Wilders, do Partido da Liberdade, PVV, com quem desejaria se encontrar durante sua visita à Holanda. Saada considera Wilders um aliado político. “Parece-me uma grande pessoa, que defende a verdade e não tem medo de expressar suas opiniões. Veja quanta influência o islamismo ganhou no ocidente. Lamentavelmente, as ideias de Wilders não são levadas a sério”.
Estado de Israel
Saada também mudou radicalmente suas ideias sobre Israel. Atualmente prega a paz entre judeus e árabes. Fundou, na Faixa de Gaza, uma escola e um centro cultural. No entanto a presença do Hamas o obrigou a mudar para Jericó e Jerusalém. Saada considera que a convivência pacífica de judeus e árabes em Israel é possível e não é mais a favor de um estado israelense e um estado palestino. “Não é o que diz a Bíblia. Deus prometeu a terra aos judeus, mas também mandou que eles vivessem em paz com seus vizinhos. Os palestinos têm os mesmos direitos que os judeus, mas há um só Estado: o de Israel”.

Fonte: Rádio Nederland

 
2 Comentários

Publicado por em setembro 5, 2011 em Terrorismo

 

2 Respostas para “Um terrorista convertido ao cristianismo

  1. Daniel Limaverde de Moura

    setembro 14, 2011 at 8:30 pm

    Em relação aos atos terroristas por causa das terras que eles acham que sejam deles, tem uma passagem bíblicas que explica bem a quem foi prometida a terra na região de conflito. Leia-se Deuteronômio 1: 5-8.

     
  2. Joel Alves de Araujo

    outubro 31, 2012 at 1:56 pm

    É comovente a conversão de Tass Saada narrada no livro “Era uma vez um homem de Arafat” Editora Holy Bible. Nós muitas vezes desconhecemos as causas que levam homens a defenderem os seus ideais com atos violentos atraves do terrorismo com motivação de justiça e ódio. Neste livro vemos T. Saada em dois momentos de sua vida : Ódio e Amor. Jesus Cristo fez uma reviravolta completa em sua vida. Este livro é uma prova incontestavel do poder do Evangelho de Jesus Cristo quando toca profundamente o coração de um pecador…maravilhosa graça!

     

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: